Grão-Mestres Portugueses

D. Fr. Afonso de Portugal (+ 1207)

Filho natural do Rei Dom Afonso Henriques. Foi elevado à dignidade de Grão-Mestre da Ordem no ano de 1194. Apesar do seu efémero governo de um ano, foi um bom soberano, governando com sabedoria e prudência, sendo zeloso da disciplina religiosa e incansável legislador. Faleceu em Portugal, sendo sepultado na Igreja de S. João de Alporão.

D. Fr. Luís Mendes de Vasconcelos (+ 1623)

O seu percurso nas fileiras da Ordem foi notável, estreando-se na armada de D. João d'Áustria, tornando-se num dos grandes "cabos de guerra" do século XVI. Foi elevado a Grão-Mestre no ano de 1622. No seu breve governo demonstrou a grandeza do seu ânimo, a generosidade do seu pensamento e o zelo pela justíça. Foi sepultado na cripta da Igreja de S. João, em La Valleta, Malta.

D. Fr. António Manoel de Vilhena (1663-1736)

Foi um dos mais célebres Grão-Mestres da Ordem, sendo juntamente com Pinto da Fonseca o maior responsável pelo esplendor da Ordem no século XVIII. Desde cedo deu provas de valoroso guerreiro, sendo sucessivamente promovido desde Capitão aos 24 anos até Comissário das Guerras, e logo depois com 32 anos era Grão-Chanceler e Bailio de Acre. Foi elevado a Grão-Mestre no ano de 1722. O seu governo foi um dos mais prósperos, tanto no poderio militar alcançado pela sua armada, como na promoção da ciência e das artes, inaugurando um tempo de grandes construções monumentais na ilha de Malta. Foi um notável legislador, guerreiro, estadista, e protector dos mais necessitados. Veio a falecer no ano de 1736, sendo sepultado na Igreja de S. João, em La Valleta, Malta.

D. Fr. Manuel Pinto da Fonseca (+ 1773)

Foi a par de Manoel de Vilhena um dos mais respeitados Grão-Mestres de todos os tempos. Foi elevado à dignidade de Grão-Mestre no ano de 1741. Foi um verdadeiro Soberano do século das luzes – reformando e regulamentando todas as áreas da governação pública, desde o Comércio, Indústria, Saúde e Justíça. Fundou a Universidade, a Biblioteca e a Imprensa. Lançou grandes obras, restaurando palácios, monumentos e edifícios públicos. O seu governo foi marcado pela magnificência. Veio a falecer no ano de 1773, aos 92 anos. Está sepultado na Igreja de S. João, La Valleta, Malta.

Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana Militar de S. João de Jerusalém, de Rodes e de Malta
Igreja de Sta. Luzia e S. Brás, Lg. Santa Luzia - 1100-487 LISBOA - PORTUGAL — Email: — Tel.: 218881303